Fugaz

Neste sopro entre uma ou outra experiência transitória nos encontramos.

E assim, nus de sentimentos e sensações planamos como que absortos no vazio.

Divagamos por entre a expectativa do que poderia ter sido e pela realidade cruel daquilo que de fato é o nosso dia a dia.

Assim, no mergulho das sensações entre o espanto e o desespero, buscamos como náufragos o vislumbre de um porto seguro.

Assim, buscar o lenitivo, algo que não nos obrigue a refletir para buscar fugir da rotina massacrante parece ser um caminho glorioso.

Ávidos pela fuga da rotina, encontramos aquilo que seria a representação da felicidade em festas sem alegria, em vídeos sem sentido, em piadas sem graça, em sorrisos sem vontade, em fotos bem montadas para serem ´postadas, em declarações sem amor, uma busca frenética pelo não pensar, pelo não encontrar-se, pelo que nos parece mais fácil e fugaz.

Assim, pode fluir o tempo, transcorrer os rápidos anos da juventude, da própria vida que rapidamente se esvai.

Muitos dirão que talvez seja este mesmo o significado de existir: um acaso do destino sem sentido certo ou glorioso.

Porém, se por alguns minutos pudéssemos parar, refletir, interiorizar, também descobriríamos que há algo muito maior em nós do que a simples fuga daquilo que nos parece vazio e sem sentido.

Sentiríamos uma sensação nova deste auto encontro, uma sensação de que tudo o que buscávamos fora estava lá o tempo todo esperando por nós.

O despertar é mágico e simples, basta abrir os olhos da sua mente.

A grande festa fantástica da vida que tanto buscamos esteve o tempo todo ao nosso dispor, chama-se : auto conhecimento, este com certeza é o grande sentido desta experiência preciosa chamada vida.

Solange Biolcatti 29/12/19

SOU

Sou,

Emoção,

Explosão

Natureza complexa mas ao mesmo tempo tão simples.

Busco paz, serenidade apesar de muitas vezes permanecer em estado de guerra por instinto de defesa.

Sonho muitas vezes com momentos únicos que são incapazes de se repetir e como criança acalanto sonhos.

Persigo tantos sonhos que penso que o tempo será insuficiente.

Tenho planos como se fosse permanecer por mais mil anos.

Tenho a sensação de que o tempo é insuficiente e esta luta insana me provoca inquietações.

Minhas emoções são um mar revolto, porque ao mesmo tempo que quero muito alguma coisa, pelos menores dissabores, rechaço este querer e não me permito sofrer por isto.

O grande desafio está em entender minhas emoções e viver de uma maneira que possa não me permitir estragar humor, saúde, rumos de vida por momentos de explosão que só me farão perder o grande presente que é viver o momento.

Preciso aprender a ser feliz um dia de cada vez.

PÁGINA EM BRANCO

Página em branco.

O que você escreveria neste seu novo livro da vida?

O que não faria ou faria milhares de vezes se sua vida repentinamente se tornasse uma página em branco?

Sentiria desespero?

Sentiria o vazio?

Ficaria feliz ante a todas as milhares de possibilidades?

Ficaria estimulado ou desestimulado?

Ouviria atentamente as vozes da vida pulsando a sua volta e se encantaria, ou,amaldiçoaria o fato do recomeçar?

A cada dia, temos a possibilidade de reescrever nossa história, de nos tornarmos mais humanos, de nos reencantarmos com o ato de viver.

A vida nos presenteia a cada dia com um novo despertar e este por si só, é repleto de possibilidades, e,  por estarmos inseridos na roda vida do cotidiano não enxergamos.

Sim, nós podemos recomeçar. Podemos colorir de esperança as páginas onde faltou cor e nos alegrar com nossas pequenas conquitas, e reaprender a sorrir pelo simples fato de que estamos diante de todas as possibilidades.

Podemos reaprender a amar sem pretensão nenhuma, de nos encantar com o colorido da vida, porque a vida tem milhares de cores, sons, sabores, cheiros.

Podemos estampar um sorriso no rosto, deixar os cabelos ao vento e despreocupadamente sermos felizes pelo simples fato de que a vida é nosso maior presente e só depende de nós colorir a página em branco.

19/02/2017

 

MEMÓRIAS

Felizes nós humanos que podemos abrir os arquivos da memória e relembrar a caminhada percorrida.

Somos seres feitos de razão e raciocínio, porém, entendo que o que nos move é a paixão.

Ela traz cor onde antes reinava a monocromia, traz ânimo onde antes reinava o desanino, traz luz onde só se enxergavam apenas as trevas.

Memórias podem ser doloridas ou saudosas, mas, tem o poder de nos tornar mais vivos e de nos ensinar com os erros cometidos.

A passagem dos anos, há tanto custo evitada nos dias de hoje, onde milhares de tratamentos estéticos e novas tecnologias nos querem fazer acreditar que seremos eternos Peter Pan´s, não é este monstro horrendo que nos quer ver decrépitos e inúteis, mas é tão somente, o acúmulo das experiências vividas, e que, se bem compreendidas, são capazes de nos brindar com a sabedoria.

Hoje, após anos vividos, a memória é capaz de me surpreender com um olhar mais sereno sobre as coisas que me cercam.

Hoje, boa parte da eterna luta que travei com o tempo e as coisas que imaginava que teria que fazer, dão lugar a uma caminhada onde me comprometo em viver apenas o dia de hoje, o que aliás é o único que realmente me compete viver.

Hoje descobri, que a vida se completa com estes pequenos presentes, como um sorriso descompromissado ou uma bela manhã de sol.

Hoje a vida faz sentido nas micro conquistas não nos sonhos delirantes.

Hoje, sou grata pelos anos que vivi e que me possibilitam utilizar a memória como um exercício de aprendizado e evolução.

Hoje vejo o tempo como um aliado e a vida esta escola de aprendizado contínuo onde me vejo passo a passo buscando a evolução.

19/02/2017.