DONS E COTIDIANO

Não somos máquinas, somos humanos!

Talvez isto seja a grande benesse e também o maior desafio. Viver uma existência onde o entorno nos influencia, onde a dor e a tristeza nos machuque, onde o outro não é um ente despersonalizado com o qual não precise me preocupar.

O grande desafio a meu ver? Entender que aquilo que nos é natural, o sentimento, não pode se transformar frente a grande vilã da modernidade chamada de cotidiano.

A grande demanda da modernidade, por tarefas, prazos, metas, etc, vai pouco a pouco  alienando de nós aqueles dons primários que são o que justamente nos distinguem dentro deste planeta.

Precisamos aprender a perceber e conviver com as demandas do mundo moderno, porém, sem perder aquilo que nos é mais caro.

Precisamos entender que justamente aquilo que nos motiva, que traz brilho ao olhar, que aquece o coração são as percepções que vão além deste cotidiano.

É ver o sorriso de uma criança, é sentir o aroma das flores que despontam na primavera e fazem das manhãs uma festa de cores, é olhar um por do sol e entender o presente da natureza , é ver o brilho da Lua e das estrelas despontando no céu e sentir-se agradecido, é poder saborear um alimento e perceber quanto trabalho envolvido pode ter havido naquele prato de comida.

É saber que nesta experiência de ser humano, fomos agraciados com a inteligência e com a sensibilidade e como em uma balança, elas precisam estar equilibradas, pois, o mundo nos exige muito do primeiro dom , mas, sem o segundo dom definitivamente, a vida não teria o menor sentido.

 

 

29/09/17

SOU

Sou,

Emoção,

Explosão

Natureza complexa mas ao mesmo tempo tão simples.

Busco paz, serenidade apesar de muitas vezes permanecer em estado de guerra por instinto de defesa.

Sonho muitas vezes com momentos únicos que são incapazes de se repetir e como criança acalanto sonhos.

Persigo tantos sonhos que penso que o tempo será insuficiente.

Tenho planos como se fosse permanecer por mais mil anos.

Tenho a sensação de que o tempo é insuficiente e esta luta insana me provoca inquietações.

Minhas emoções são um mar revolto, porque ao mesmo tempo que quero muito alguma coisa, pelos menores dissabores, rechaço este querer e não me permito sofrer por isto.

O grande desafio está em entender minhas emoções e viver de uma maneira que possa não me permitir estragar humor, saúde, rumos de vida por momentos de explosão que só me farão perder o grande presente que é viver o momento.

Preciso aprender a ser feliz um dia de cada vez.

HUMANOS

Subitamente nos percebemos.

Percebemos a imensidão e a perfeição de tudo o que nos cerca.

E nossos olhos se expandem para além do que a própria visão é capaz de captar.

E nossos corações compreendem que recebemos um presente, esta vida.

E que devemos aprender a respeitar e aceitar cada coisa, cada diferença e cada semelhança como uma extensão de nós próprios.

A raça humana, tão complexa e ao mesmo tempo tão visceral.

Em nós encontramos o melhor e o pior de nossa origem.

Encontramos a mão estendida pedindo ajuda,

o olhar perdido de medo, de solidão, de angústia,

a fome,

as violências,

os abandonos,

o vazio insuperável.

Mas a raça humana tem este poder infinito de se refazer, de reconstruir o que foi destruído, de olhar para dentro de si e encontrar a força necessária para seguir adiante sem esmorecer, de quase se curvar as tempestades, porém, de se refazer na manhã seguinte como o arco íris sútil e colorido que estampa o céu nos trazendo esperança.

Então,

para cada mão que pede ajuda há sempre uma mão que ampara,

Para cada ser humano mergulhado no medo e na desesperança,

há sempre alguém disposto a ser a luz no fim do túnel,

Para cada violência sofrida,

há sempre alguém disposto a trazer a tão sonhada paz.

Para cada vazio, há sempre uma força maior que nos impele a olhar para dentro de nós mesmos no encontro com este auto conhecimento.

De saber o que somos, de saber para que estamos aqui e de finalmente perceber, que tudo e todos,  dos povos mais distantes até o parente mais próximo, formamos esta raça humana, interligada, interconectada e pronta a ter a empatia necessária para exercitar a compaixão.

07/07/2017